13 de dezembro | 2015

“Uma Voz Pregando no Deserto”

Compartilhe:

Começo, hoje, a coluna em belíssima companhia, Carlos Drummond de Andrade:

A Montanha Pulverizada

Chego à sacada e vejo a minha serra,

a serra, de meu pai e meu avô,

de todos os Andrades que passaram

e passarão, a serra que não passa. (…)

Esta manhã acordo

e não a encontro.

Britada em bilhões de lascas

deslizando em correia transportadora

entupindo 150 vagões

no trem-monstro de 5 locomotivas

– o trem maior do mundo, tomem nota

foge minha serra, vai

deixando no meu corpo e na paisagem

mísero pó de ferro, e este não passa.

Rapidinhas

– Maurício Macri é o novo presidente da Argentina. Macri prometeu acabar com o autoritarismo dos Kirchner, cuja finalidade era o controle do Judiciário, da imprensa e outras instituições. Até agora o que chamou mesmo a atenção dos argentinos foi o beijo entre Macri e Juliana, sua bela e elegante esposa, após o debate entre os dois candidatos na tevê. Caliente! Macri já veio bater um papinho com d. presidenta.

– Fonte quentíssima me confidenciou: O candidato  a vice-prefeito na chapa de um prefeiturável poderá ser um vereador. Só falta, em relação ao vereador, o cacique do partido bater o martelo. Aguardemos!

– O Brasil perdeu um de seus mais brilhantes talentos. A falta de Marília Pera deixa mais pobre o cenário cultural brasileiro (que já não anda lá essas coisas).

– A oposição venceu também na Venezuela. Em mais de dezesseis anos, conseguiu o maior número de cadeiras no Parlamento venezuelano.

– O governo dos tucanos, que nunca foi bom para a Educação, deu com os burros n’água com a tal de reorganização das escolas por ciclo. A meninada protestou, e o protesto vingou.

– Seu Geraldo Alckmin mostrou mais uma incompetência na área. Autoritário quis “reorganizar” sem conversar com os mais interessados: pais, alunos e professores. Teve de recuar e revogar o decreto “autoritário”. Por que não debateu a questão com as comunidades escolares, antes da medida infeliz.

– Conseguiu com que seu secretário (da Educação) pedisse demissão de seu cargo. Aliás, educação nunca foi prioridade dos governantes brasileiros!

– Por falar em tucanos e educação: um bom governante do PSDB (para a categoria) foi o sr. Franco Montoro. Não era o dono do mundo. Sem autoritarismo, dialogava com a categoria. Sabia ouvir e respeitava os professores.

Outras Notas

– E o seu Delcídio do Amaral, hein? O líder do governo Dilma no Senado teve uma conversa comprometedora gravada pelo filho de Nestor Cerveró. A “conversinha” entre Amaral, o advogado do ex-diretor da área internacional da Petrobras (Cerveró) e o filho de Cerveró botou Delcídio na cadeia.

– Delcídio, temendo ser “citado” na delação premiada de Cerveró, queria comprar o silêncio do ex-diretor. Pediu a ajuda do banqueiro André Esteves (dono do BTG Pactual, também preso por conta da “conversinha”). O senador petista chegou a combinar com Bernardo (filho de Cerveró) e com o advogado de Cerveró, Edson Ribeiro, a fuga do ex-diretor da Petrobras. Pano rapidinho!!! Essa gente, como disse o ministro Celso de Mello, do STF, “são agentes criminosos que atentaram contra as leis penais da República e contra o sentimento de moralidade e de decência do povo brasileiro.”

– A ministra Cármen Lúcia (STF) também, indignada, manifestou seu sentimento em relação “a esses agentes criminosos”: “Na história recente de nossa pátria, houve um momento em que a maioria de nós, brasileiros, acreditou que a esperança tinha vencido o medo. Depois, descobrimos o que o cinismo tinha vencido aquela esperança. Agora parece se constatar que o escárnio venceu o cinismo. O crime não vencerá a Justiça.” Assim seja, sra. ministra, assim seja.

– Estamos realmente cansados desses vermes que sugam o sangue a alma e o vigor do povo (honesto) brasileiro, de uma nação inteira.

Culturais

– Imperdível o documen­tário “Chico – Artista Brasileiro”, de Miguel Faria Júnior. Pasquale Cipro Neto disse que o documentário “é trabalho comovente sobre vida e obra do compositor.”

– “Alice no País das Maravilhas” está fazendo aniversário. Completou, no dia 28/11, 150 anos. A obra precursora do nonsense na literatura, do inglês Lewis Carroll, ganhou quatro edições comemorativas no Brasil, quatro preciosidades, numa bela caixa. “Através do Espelho” vem com tradução e ilustração inéditas. E tem ‘Alice’ de todo os jeitos.

– Em tradução de Sebastião Uchoa Leite, poemas de Augusto de Campos e ilustrações originais de John Tenniel, em uma edição limitada (com as duas obras em um volume, ilustradas por Adriano Pelicano) e a raridade: réplica de manuscrito dado por Caroll a Alice Liddel (1862) com ilustrações do próprio Lewis Carrol.

– Um presentão de Natal dos pais (que realmente conhecem o valor da leitura) a seus filhos.

– Lewis Carrol é o pseudônimo de Charles Lutwidge Dodgson, um professor (“recatado e gago”) de matemática da Christ College.

– A pedido de Alice, Dodgson escreveu “uma fábula criada a esmo no rio”, em que passeava na companhia das três filhas do reitor da universidade de Oxford, Henry Liddel. A irmã do meio era Alice, na ocasião com 10 anos.

– O manuscrito de Dodgson (Lewis Carrol) chamava-se “As Aventuras de Alice Embaixo da Terra”, depois “Alice no País das Maravilhas”.

– A obra interessantísima quebrou paradigmas no século 19 (“subverteu o sistema educacional vitoriano”). Só por isso (ou por tudo isso) já teria valido a pena.

– Até que enfim: o filme de Guilherme Fontes “Chatô: o Rei do Brasil” estreou nas telonas de nossos cinemas. O filme conta a trajetória de Assis Chateaubriand, o homem que trouxe a tevê para o Brasil e atuou em vários setores da área cultural. O filme foi inspirado na biografia escrita por Fernando Morais. Guilherme captou recursos (incentivo à cultura) no valor de R$ 8,6 milhões. E só consegue estrear depois de 20 anos do início de sua filmagem. Deu um bafafá danado, sendo Fontes acusado de mau uso do dinheiro público.

0 Em tempo: O filme tem sido elogiado pelos críticos e é sucesso de público.

Cumpadres

Bom-dia, meus amigos, meus amados leitores. Bom-dia Maria Vilela, Euder Quintino de Olíveira, Júlio Tácio Amorim, Maria de Lourdes Rodrigues Piton, Carmem Moro, Ademir e Mirtes Sichieri, Darci Cantero, Armando D’Almeida Neto e Dalva D’Almeida, Daniel Joaquim Emílio, Valdecir Casagrande, Regina Furquim, Fernanda Dopp, Ademir Antônio de Freitas, Galib Jorge Tanuri, Fernando Ribeiro de Carvalho, Carmem Sílvia Tanuri, Paulo Ribeiro de Carvalho, Maria Eugênia Donadão, Maria Bachega, Leda Maria de Lima Ribeiro, Anna Valci Marques Guimarães, Maria Inês Firmino, Amado André Messias, Edgar e Margarida Piton, Lídio e Wanda Morandi Sachetin, Eugênio José Zuliani, Mércia Breda, Márcia Breda, Wílson Augusto Sarrias.

Cortina

Seu Michel Temer, só depois de quatro anos, desconfiou que é o vice-presidente do Brasil. E enviou cartinha (queixosa) a d. Dilma, chorando as pitangas. Seu Michel, há um ditado popular que garante que vice é vice. Entonces… Como disseram alguns observadores políticos, o homem rasgou a fantasia. E caiu na real… É vice!

Cumpadres 2

Feliz Natal, meus preclaros amigos! Apesar das barragens arrombadas, apesar da indigência política em que vivemos, apesar dos que surrupiaram o dinheiro público em causa própria (arrombando os cofres da Nação), o Menino há de chegar em nossos corações, nos corações dos homens de boa vontade. E os políticos corruptos que desviam verbas da Saúde, da Educação e de tantas outras áreas, certamente, hão de se haver com Deus. Feliz Natal! Que Deus nos abençõe!!!

Finalmentes

– Angela Merkel, chanceler alemã, foi eleita a personalidade do ano pela revista norte-americana Time.

– Frase da semana: “A democracia tem inimigos: são os que querem impor suas crenças e normas como obrigações para todos”. Contardo Calligaris.

– O governo do Estado de São Paulo ocupou 8 páginas, em cores, na VEJA , para defender a reorganização de escolas estaduais. As páginas são chamadas de Publieditorial. Quem paga a conta?

– Wágner Moura está concorrendo ao Globo de Ouro, na categoria melhor ator, pela sua atuação em “Narcus”, filme sobre a vida de Pablo Escolar. Poderá ser indicado ao Oscar.

– O STJ poderá revogar as decisões do juiz federal Sérgio Moro. E soltar empreiteiros presos. É o fim, senhoras e senhores.

– Sérgio Moro diz que é “uma voz pregando no deserto” em relação à Lava-Jato. Para mim, Moro é a personalidade do ano.

Ivo de Souza é professor universitário, poeta, co­lu­nista, pintor e membro da Real Academia de Letras de Porto Alegre.

 

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Ainda não tem nenhum comentário para esse post. Seja o primeiro a comentar!

Mais lidas