17 de janeiro | 2016

Corrupção, Inflação e Desemprego

Compartilhe:

Até quando o povo

brasileiro terá de

aturar tanta desfaçatez

tanta desonra, tanto

cinismo dos colarinhos

brancos…?I.S

Rapidinhas

– A Bola de Ouro ficou mesmo com Lionel Messi. O hermano é um cracaço!

– Neymar ganhou lugar de destaque na seleção dos melhores do mundo. Formou o melhor ataque com Cristiano Ronaldo e Messi. Que trio fantástico!

– Mais brasileiros entre os 11 melhores: Thiago Silva, Daniel Alves e Marcelo.

– O gol mais bonito foi o do brasileiro Lira, do Vila Nova. Pintura! Havia outros gols igualmente belos, que não foram sequer classificados.

– Se Neymar continuar jogando como tem jogado, poderá ser o dono da bola de ouro nesta temporada (2016). Ele merece.

– Principal destino dos jogadores tupiniquins: China. Aliás, os “nossos” melhores estão fora do país. Engraçado: quando são convocados pra jogar pela seleção brasileira tem sido, muitas vezes, um desastre total. Parecem nervosos, inseguros. Não conseguem mostrar o futebol que têm.

Outras Notas 

– Seu Nestor Cerveró continua botando a boca no trombone. Agora cita em sua delação premiada os senhores Luiz Inácio Lula da Silva e o sr. Fernando Collor. E até o governo FHC. Cita, também, d. presidenta. Cerveró mandava e desmandava na BR Distribuidora. O homem comandava a área de finanças. Disse que o cargo foi um presentinho do sr. Lula.

– Jay Nordlinger, jornalista americano, em seu livro Children of Monsters afirma que filhos de ditadores costumam se tornar pessoas tão bárbaras quanto seus pais. E cita, como exemplo, a dinastia dos Kim, da Coréia do Norte.

– Há, porém, casos em que “herdeiros” não seguem seus pais. Ao contrário, voltam-se contra eles.

– A ocupação japonesa da Coréia do Sul (1910-1945) deixou uma marca profunda em mais de 200.000 adolescentes que se sujeitaram (à força) aos caprichos sexuais dos japoneses (escravos sexuais).

– Agora, Japão e Coréia do Sul fizeram uma acordo (histórico) a fim de “compensar” as mulheres (à época, meninas) que se tornaram objetos sexuais dos japoneses.

– Atualmente há 46 sobreviventes da barbárie japonesa, com idade média de 89 anos. Nos anos 90, 238 dessas sul-coreanas ficaram conhecidas publicamente. Antes da década de 90, estigmatizadas, mantiveram silêncio absoluto sobre o acontecido.

– Às quartas-feiras (há 20 anos), mulheres fazem protesto em Seul (em frente da embaixada japonesa). Há no local a estátua de bronze de uma menina coreana, que simboliza as adolescentes escravizadas por militantes do Japão, entre 1910 e 1945.

– A estátua tornou-se centro de homenagens às meninas sul-coreanas e já foi reproduzida (“replicada”) em várias cidades do mundo.

– Park Geun-hye diz que chegar a um bom termo nessa questão (como se fosse possível reparar tal abuso) é crucial para a reaproximação dos dois países.

– O Japão criou um fundo de 32 milhões de reais para “auxiliar as sobreviventes” (cuja idade média é de 89 anos), mas quer a remoção da “incômoda” menina de bronze. As sul-coreanas não querem sequer pensar na possibilidade dessa ideia. A menina tem de ficar onde está.

– Essas infelizes escravas sexuais foram apelidadas de “mulheres conforto”. Um nome tão terrível quanto à escravidão nos quartéis do Exército Imperial do Japão.

Mais Notas

– Dani Dayan, novo embaixador de Israel, designado para o Brasil a fim de substituir o árabe de origem drusa, Reda Mansour, seu antecessor, ainda aguarda sua aceitação pelo governo de d. Dilma Rousseff.

– Motivo alegado nos bastidores, embora oficialmente não se fale sobre o assunto, é que o empresário Dayan já foi líder de colonos na Cisjordânia, mora no assentamento de Maale Shomron e é (talvez, principalmente, por isso) contra a criação de um Estado Palestino.

– O Itamaraty usa como pretexto (?), para não aceitar (ainda) o nome do embaixador israelense, o fato de o governo de Israel ter anunciado o nome de Dayan pelo Twitter. O imbróglio, na verdade, é de ordem político-ideológica. Nada mais que isso.

– Deve-se dizer também que Benjamin Netanyahu, primeiro ministro de Israel, errou ao fazer o anúncio de seu embaixador no Brasil pelo Twitter (“postura diplomática indevida”). Mas…

– Dayan, um empresário bem-sucedido, nasceu na Argentina. É um idealista de discurso pragmático. É muito respeitado por “todo o especto político”.

Qualquer Nota

– Seu Eduardo Paes, prefeito do Rio, está jogando todas as suas fichas (cartas) políticas nos Jogos Olímpicos 2016. Seu objetivo principal: o Palácio do Planalto. O homem não sossega… “Só pensa naquilo” (no trono de d. Dilma, é claro).

– Uma revista de circulação nacional fez uma reportagem sobre o sr. Paes. Desnudou algumas facetas (nada elogiáveis) do rapaz.

– Eduardo Paes tem duas ideias fixas: ser o próximo presidente da República e manter o sr. Pedro Paulo Carvalho (secretário executivo do governo municipal) como candidato à sua sucessão (quer fazer do rapaz seu herdeiro político).

– Ainda que Pedro Paulo tenha agredido duas vezes sua ex-mulher. As agressões tornaram-se públicas e foram parar nas páginas (policiais) dos jornais.

– Eduardo Paes tem fama de ser “esquen­tadinho”: arremessou um cinzeiro em uma assessor; expulsou outro assessor do carro em que se encontravam e socou um homem que o xingou em um restaurante. O rapaz é de família “rica” e educadíssimo! Como se vê.

– É extremamente centralizador – quer ser mais realista que o rei – arrogante e mandão. Sem falar de sua forte personalidade, digamos, “folclórica”.

– Seu Eduardo Paes, um presidente da República precisa ser ousado, dinâmico, inteligente e emocionalmente muito equilibrado. O tempo nos ensina. Quem sabe o sr. possa aprender a deixar de ser uma pessoa impulsiva, talvez aprenda a ser mais modesto. Inteligência não lhe falta. O sr. tem a astúcia política das velhas raposas. Faltam-lhe, porém, ponderação e modéstia. O tempo ensina…

Li, num jornal (desses que nos entregam de graça nas nossas portas) que “… a habilidade de não agir impulsivamente reflete a força interior”.

Cumpadres

Bom-dia, meus insignes leitores. Obrigado pelo prestígio que conferem a essas mal traçadas linhas.

Cortina

A inflação comeu (3%) do nosso rico dinheirinho guardado a sete chaves na caderneta de poupança. É preciso arriscar novos investimentos, sempre aconselhado por uma pessoa da área. Que tal os fundos de renda fixa?

Cortina 2

E a lama (não a da Samarco) continua cobrindo até o pescoço alguns deputados e senadores da República… Uma vergonha para o país, uma bofetada na “cara” dos brasileiros.

Cortina 3

Dizem que Lugano vai botar ordem no terreiro tricolor. Ele teria sido contratado para isso. Fama de xerifão ele tem. A torcida do São Paulo está numa euforia que dá gosto. Aguardemos. Se Lugano fizer o Ganso jogar, já estará de bom tamanho.

Cortina 4

Certos políticos deveriam urgentemente fazer cursos intensivos de Língua Portuguesa. Como falam mal! E outros (não-políticos) que ocupam cargos em empresas ou associações também. Nada de preciosismo, de pedantismo no uso da língua. Um bom arroz com um belo feijão bastam. Ou seja, usar a língua com correção e simplicidade.

Finalmentes

Terrível a situação dos refugiados sírios. Fatos dessa natureza (uma verdadeira tragédia) diminuem o homem perante Deus. Bom-dia!

Urgente

A questão torna-se cada vez mais polêmica: receber ou não receber os refugiados?

Depois que cem mulheres foram atacadas por refugiados, em Colônia, na passagem do ano, a chanceler Ângela Merkel, que vinha aceitando com boa vontade pessoas que fogem da guerra em seus países, ficou numa saia justa daquelas bem apertadas.

Ivo de Souza é professor universitário, poeta, colunista, pintor e membro da Real Academia de Letras de Porto Alegre.

 

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Ainda não tem nenhum comentário para esse post. Seja o primeiro a comentar!

Mais lidas