16 de junho | 2024

Olímpia: uma cidade que balança, mas não cai

Compartilhe:

“Esses eventos ressaltam a necessidade urgente de planejamento e execução eficaz de um projeto amplo que abarque as necessidades reais das duas Olímpia, a Olímpia Turística e a Olímpia da Senzala, dos pobres e marginalizados pelo atual governo”.

 

 

José Antônio Arantes

A última semana parece ter transcorrido do jeito que o diabo gosta. Talvez pela influência dos saci-pererês ou do Curupira, que já foi o melhor prefeito que Olímpia já teve, mas foi cassado por interferência religiosa.

Começou com um jornal de grande circulação regional fazendo chacota com a derrocada, pelo menos momentânea, da novela do aeroporto. Depois, teve caminhão caindo da ponte da prainha, mostrando que este governo não tem projeto, apenas vive dos devaneios de seu ditador. E, por fim, a cidade ficou em polvorosa com a prisão de um casal de comerciantes conhecidos e de um megaempresário local, proprietário de uma rede de postos de combustíveis.

Em um editorial ácido, o Diário da Região de Rio Preto descreveu a situação do tão propagado e não tão bem explicado Aeroporto Internacional de Olímpia, que voltou à estaca zero, como um “voo de galinha”.

VÁRIOS PAIS PARA UM FILHO INEXISTENTE

No podcast “Pod Pai e Filha”, Bruna e José Antônio Arantes discutiram de forma divertida e crítica a polêmica, destacando a disputa política pela paternidade do projeto e a decisão controversa do deputado Luiz Carlos Mota, que colocou a verba de R$ 104 milhões e depois votou pelo seu remanejamento para outras áreas, como a Saúde.

O prefeito, de forma esquisita, foi a público dizer que não tem nada a ver com isso e que o aeroporto agora é responsabilidade da União e sua construção já estaria até no Plano Plurianual da União.

Consultando alguns vereadores, no entanto, o que se comprovou foi que o prefeito se precipitou. Ao que se informa, ainda não teria sido concretizada a transferência da concessão do aeroporto para a Infraero, e tudo, por enquanto, não passava de troca de correspondências.

CONSULTA RÁPIDA NÃO ENCONTROU R$ 1 BILHÃO

Quanto ao estar incluído no PPA da União, em consulta rápida realizada na quinta-feira, foram encontradas as citações de construção e reforma de vários aeroportos, nenhuma com dotação de R$ 1 bilhão como disse Nandão, nem mesmo citando o nome de Olímpia.

Moral da história: se o Diário da Região for pesquisar as declarações do prefeito e se confirmar que não passava de devaneios do ditador, poderemos ser motivo de chacota regional mais uma vez.

CRÔNICA DE UMA DESGRAÇA ANUNCIADA

Para desespero dos que entendem que para administrar uma cidade basta criar o Vale do Turismo sem projeto, sem planejamento, e esconder a maioria da população em terra abandonada, a queda de um caminhão na antiga ponte da prainha, que continua sendo utilizada por trabalhadores e moradores das redondezas, mais uma vez deu provas de que não adianta fazer maquiagem para posar na foto.

O acidente, ou a “Crônica de uma Desgraça Anunciada”, aconteceu na terça-feira e acabou evidenciando a precariedade da estrutura de madeira, que não tem mais como ser remendada. A ponte, que já era estreita, sofreu danos significativos e agora só permite a passagem de bicicletas e motos. Necessita com urgência de uma solução definitiva: uma ponte de concreto.

A Prefeitura anunciou a interdição temporária para reparos e mencionou um projeto de construção de uma ponte de concreto, que necessita de um investimento estimado em 10 milhões de reais, que até agora não tem previsão de onde tirar. A segurança no trânsito e a necessidade de infraestrutura adequada são cruciais para evitar tragédias futuras.

CASO DA PRISÃO DE COMERCIANTES E EMPRESÁRIOS

Por último, a população acabou ficando estupefata com a prisão de um megaempresário e um casal de comerciantes conhecidos da cidade, acusados de receptação e associação criminosa.

O caso veio à tona na quarta-feira, com a ordem de prisão em flagrante expedida pela polícia civil local. O alvoroço foi geral. No entanto, a liberdade provisória dos envolvidos decretada pela justiça local causou mais polêmica ainda, questionando o célebre pensamento de que justiça é só para os pobres.

PREENCHERAM REQUISITOS DA LIBERDADE PROVISÓRIA PREVISTOS EM LEI

Embora os requisitos exigidos pela lei para a prisão em flagrante estivessem claros para o delegado local, os requisitos da liberdade provisória também foram entendidos como existentes pelo juiz da Vara Criminal. Lei é lei, e o profissional do direito a interpreta e aplica.

Esses eventos ressaltam a necessidade urgente de planejamento e execução eficaz de um projeto amplo que abarque as necessidades reais das duas Olímpia, a Olímpia Turística e a Olímpia da Senzala, dos pobres e marginalizados pelo atual governo. A comunidade merece soluções duradouras e transparência nas decisões políticas, garantindo que os recursos sejam utilizados de forma eficiente para o benefício de todos.

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Ainda não tem nenhum comentário para esse post. Seja o primeiro a comentar!

Mais lidas