13 de outubro | 2013

Máfia do asfalto coloca governo Eugênio na pista estadual para investigação

Compartilhe:

Do Conselho Editorial

Muito embora, pelos bastidores, os bate-paus, os puxa sacos, em verdadeira campanha contra os poderes instituídos encarregados de investigar malversação do dinheiro, afirmem que não vai dar em nada, o possível envolvimento do poder Executivo com a máfia do asfalto começou a ser investigada pelo MP local.

Foi enviado, segundo notícias publicadas na imprensa local, para a Delegacia Seccional de Barretos o inquérito policial que foi instaurado para investigar a possível ligação do governo de Eugênio José com a Máfia do Asfalto.

O inquérito foi instaurado pela promotora Valéria Andréia Ferreira de Lima através de material encaminhado pelo Gaeco e que fazem parte das investigações em que foi desarticulada uma quadrilha que atuava em todo território nacional com o propósito de desviar recursos dos cofres públicos.

O rombo, segundo informado pela mídia, ultrapassa a casa dos bilhões sendo considerado um dos maiores desfalques da história atual.

A operação popularmente conhecida como a da Máfia do Asfalto, recebeu da Polícia Federal o nome de Operação Fratelli, que significa irmão em italiano.

Foi deflagrada em 9 de abril de 2013 pela PF em conjunto com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) e desbaratou a quadrilha que atuava em vários Estados do Brasil.

 Em Olímpia o alvo da operação foi a Prefeitura Municipal de onde foram recolhidos computadores e documentos para análise.

Embora não haja confirmação oficial, há informações que dão conta de inúmeras conversas de Eugênio José Zuliani com integrantes do esquema desmontado, que com as investigações virão a público e mostrarão o teor, demonstrando se houve ou não envolvimento de si ou de membros do seu staff no esquema bilionário montado para saquear os cofres públicos.

Interessante notar que grande parte das pessoas envolvidas na investigação, e que tinham voz de mando na quadrilha tinham relações ou políticas ou de amizade com o prefeito local.

O empresário Olívio Scamatti, que segundo consta era a liderança do esquema, está preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Rio Preto.

As obras contratadas pela Demop no Município, uma das empresas investigadas, estão paralisadas.

Estes indícios apontam na direção de que o céu de brigadeiro que Geninho vinha apontando para a sua administração começa a mostrar nuvens cinzentas, que poderá terminar em tempestades.

O Ofício encaminhado pela promotoria relacionam vários itens que orientam as investigações, entre eles, a oitiva com os integrantes das Comissões de Licitação dos contratos suspeitos, com servidores municipais responsáveis pelos contratos, com o controlador de despesas e tesoureiro municipal entre outros.

Afora a certeza de próximos do poder que acreditam em uma grande pizza para a conclusão do caso, tendo em vista que o MP local arquivou anteriormente representações relacionadas a este caso, e não mandou representação a reunião do Gaeco para tratar do assunto, há quem alardeia que o processo administrativo para apurar responsabilidades, poderá jogar na frigideira peixes pequenos para saciar a fome da opinião pública.

Por sinal, estes peixes miúdos já revelam a boca pequena seus temores diante do que o futuro lhes reserva.

Por ter foro privilegiado, embora o inquérito tenha sido instalado em Olímpia, Geninho será investigado pela Delegacia Seccional de Barretos.

No entanto, vale ressaltar que a investigação se deu em razão do desvio de verbas estaduais e federais, o que significa que o Ministério Público, o mesmo que concluiu que estava tudo certo anteriormente, se encarregará de investigar, novamente, o que se relaciona as verbas estaduais.

As verbas federais, no entanto, para desespero dos que crêem na impunidade, continuarão as ser investigadas pelo Ministério Público Federal, o que deve assombrar mais ainda os peixes e as arraias miúdas em um governo em que a culpa recai sempre sobre o porteiro.

A Máfia do Asfalto colocou o governo Geninho na pista estadual para investigação, e se for considerada as condições não tão adversas que seus próximos tentam provar que há, pelo histórico que parece haver entre o condutor e a estrada, existe a possibilidade de que não venha a derrapar.

No entanto, na via federal, a menos que tenham feito muito barulho por nada, o que é de se duvidar, é bem possível que não chegue ao primeiro pedágio, sem cair no abismo, há indícios que demonstram que há buracos demais neste asfalto.

Há possibilidades pelo enredo de que Geninho saia com uma certidão que endosse sua honestidade ou trombe com tudo no barranco da falta de moralização da coisa pública, que capote e fique com as quatro rodas de sua moral que será abalada, de pernas para o ar, caso se confirmem as denúncias.

É esperar pra ver e pelos prazos o desfecho está próximo, e a abertura de inquérito pelo MP estadual dá mostras de pista escorregadia, asfalto liso, perigoso e esburacado pelos lados de Eugênio. 

 

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Ainda não tem nenhum comentário para esse post. Seja o primeiro a comentar!

Mais lidas