08 de junho | 2008

Tentativa de suicídio é válvula de escape para crise existencial

Compartilhe:

 

 Embora haja uma série de fatores geralmente elencados para justificar uma tentativa de suicídio, mas para o padre Ivanaldo Gonçalves de Mendonça (foto), responsável pela Quase Paróquia São José, a atitude é uma válvula de escape para o que é conhecido por crise existencial.

"A perda do sentido de vida e de objetivos, quando a pessoa não tem motivação, levam na maioria das vezes, à tentativa de suicídio como escape para que a pessoa possa respirar diante do sofrimento e da angústia que vive", justifica.

E tudo isso, na avaliação de Mendonça, pode ser provocado por diversas situações. Além da perda do sentido de vida, a carência também é apontada como forte suficientemente para levar a uma decisão extrema. "Falta força suficiente pra poder lutar, persistir ou resistir", acrescenta.

Para Mendonça as pessoas que mergulham nesse abismo da angústia e do sofrimento, também do nível psicológico e até do espiritual, enxergam o suicídio como uma forma de respirar.

"Porém, elas não têm noção que essa tentativa de respirar está colocando limite, está colocando fim a todas as possibilidades que ela têm de superar e resistir àquela crise ou aquela dificuldade que está vivendo", reforça.

Acreditando que o ser humano vive um conjunto de situações, diz que as questões sociais, econômicas e culturais estão profundamente envolvidas numa tentativa de suicídio. "Porém, ainda reforço que a perda do sentido da vida faz com que a pessoa, diante de tantos desafios, perca as razões pra continuar lutando", considera.

Mendonça destaca que encontra muitos desempregados e pessoas em situação de pobreza e miséria, com problemas gravíssimos de doenças e de vários níveis sociais que jamais pensam em dar fim à própria vida.

Por outro lado, ressalta a importância da boa convivência familiar como esteio que pode dar continuidade à vida: "Sem dúvida nenhuma o enfraquecimento da família é reflexo do enfraquecimento e empobrecimento das relações".

Se o núcleo familiar não é bem estruturado em todos os sentidos, desde o físico, material, espiritual e psicológico, as pessoas dessa família viverão com desajustes de caráter e personalidade, que fazem com que se perca a referência.

"Hoje temos pessoas que não sabem de onde vêm e nem pra onde vão. São filhos de ninguém, descartados por seus pais e pela sociedade e se o ser humano não se sente amado não se permite amar. A vida carece de um sentido maior. Acredito que isso influencie bastante", conclui.

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Todos os Comentários (1)
Marco opera há 6 mêses atrás
E o que muitas vezes leva ao suicídio é esta suciodade hostil. E outra também é o proprio sistema de merda que muitos trabalham e descontam todoa meses mais de 400 euros e depois qua do precisam de subsidio desemprego eles levamtam o dedo do meio. Entao me pergunto porquê faço descontos? Mais vale ser corrupto e viver do tráfico porque ai o rendimento é so meu e nao do estado. Depois com esses problemas vem os outros que te mandam abaixo por simples palavras. Mas por tua cabeça estar cheia explode e vem a depressão, vicios droga entre outras coisas e a solução qual é suicidio. ( a cabeça dels por estar cheia, indignação, revolta e burrise) é a solução. E o maior culpado é o governo e não digam que não. 🇵🇹
Mais lidas