26 de maio | 2024

Radialista mostra no Facebook que Cunha estava com a filha na Grécia

Compartilhe:

PREFEITO BRABÃO!
Cleber Luis publicou vídeo após prefeito ter chamado radialista de ignorante e invejoso no rádio. Funcionários comissionados empenharam despesas de viagem na Grécia como sendo deles.

O jornalista Cleber Luis que tem uma página no Face onde publica suas reportagens, publicou, esta semana, outra matéria a respeito da viagem do prefeito Fernando Cunha à Grécia, acrescentando que diferentemente da alegação de que teria ido sozinho, existem fotos e provas na internet que mostram sua filha naquele país naqueles dias.

Cleber que também pode ter sido ofendido pelo prefeito em programa de rádio esta semana, fez a reportagem contando a história bem diferente do oba oba e da prepotência de Cunha na emissora de rádio local.

VIAGEM FOI ENTRE 7 E 20 DE ABRIL

A viagem do prefeito de Olímpia, Fernando Cunha, à Grécia entre os dias 7 e 20 de abril, para o acendimento da tocha olímpica, está a cada dia ganhando novos detalhes. A polêmica começou após o Ministério Público Olimpiense solicitar explicações sobre os recursos utilizados na viagem, em razão de informações registradas no Portal da Transparência.

Segundo o Portal, constam empenhos em nome de quatro servidores de confiança, nomeados pelo próprio Cunha, com justificativa para visita à Grécia. Entre esses servidores, dois ocupam o cargo de assessor de gabinete 1 e dois são assessores de gabinete 2.

FUNCIONÁRIO EMPENHARAM
DESPESAS DE VIAGEM
À GRÉCIA EM SEUS NOMES

Cunha, no entanto, havia afirmado anteriormente que viajou sozinho, sem comitiva oficial, levantando suspeitas de que os valores empenhados em nome dos servidores foram, na verdade, gastos pelo próprio prefeito.

O vereador Marcelo da Branca também requisitou informações sobre a viagem. Em resposta, o Executivo municipal confirmou que Cunha utilizou recursos públicos para a viagem, que teve um custo total de R$ 41 mil aos cofres do município.

APENAS CINCO DIAS NA GRÉCIA

Nas informações ficou claro que grande parte do tempo foi gasto em deslocamento, com conexão em Portugal, e apenas cinco dias foram dedicados à agenda oficial na Grécia.

Durante uma entrevista a uma rádio local na quinta-feira, 23, o prefeito explicou: “Eu fui lá representar a Olímpia, uma viagem, se quer saber, chata, que eu fui sozinho. Pode instaurar o que quiser, sabe, eu tô tudo transparente, eu pago do meu bolso. Olha, eu conheço a Grécia, eu já fui quatro vezes na Grécia, eu já viajei de férias pela Grécia, aquelas ilhas maravilhosas, mas eu bem acompanhado. Agora fui sozinho pra cumprir tabela, honrando o nome de Olímpia numa homenagem única”, declarou Cunha.

FILHA DO PREFEITO
ESTAVA NA SOLENIDADE

Contradizendo a afirmação do prefeito de que estava sozinho, vídeos compartilhados nas redes sociais mostram que a filha de Cunha, Nayara Cunha, participou do evento, carregando a tocha pelas ruas da cidade grega. Nayara também fez check-in e postou fotos em uma rede social durante o mesmo período em que seu pai estava na Grécia.

Outro ponto controverso é a suspeita de que Cunha viajou em classe executiva ou primeira classe, significativamente mais cara do que uma passagem econômica. Respondendo às críticas, Cunha mencionou que a denúncia partiu de um radialista que, segundo ele, nunca saiu do Brasil e estaria agindo por inveja.

RADIALISTA NUNCA SAIU DO BRASIL

“Porque a denúncia, né? Eu acho que foi do radialista, né? Que denunciou. Ué, pode denunciar o que quiser, eu não… e provavelmente esse radialista nunca saiu do Brasil, nem saberia como sobreviver lá na Grécia. Não saberia nem como se comportar e sobreviver, deve estar morrendo de inveja, né”, disse Cunha.

Ainda durante a entrevista, Cunha refletiu sobre as viagens anteriores e a necessidade de representar a cidade em eventos internacionais. “Fui há quatro anos, fui agora de novo. Acho que os prefeitos que vieram deveriam fazer. Viagem boa para a Grécia, eu vou bem acompanhado para as ilhas gregas, sabe, aí sim vale a pena. E eu já fiz isso, já não volto mais, porque eu já fiz. Tiver que ir, eu vou para outro lugar que eu não conheço. Ah, vem com história, é de uma ignorância, é de uma inveja.”

CUSTOU R$ 41 MIL
DO BOLSO DOS CONTRIBUINTES

A repercussão da viagem não se limita apenas ao custo de R$ 41 mil, mas também ao contraste com os salários de servidores municipais. De acordo com dados da folha de pagamento da prefeitura, esse valor seria suficiente para pagar um mês de salário de 17 monitores de creche ou 10 professores de educação básica. A quantia também poderia ser usada para remunerar 16 técnicos em enfermagem ou 14 agentes de controle de endemias envolvidos no combate à dengue.

A questão dos recursos públicos utilizados na viagem e a transparência dos gastos se tornou um ponto central de debate. A população de Olímpia aguarda os resultados das investigações solicitadas pelo Ministério Público e as explicações detalhadas prometidas pelo Executivo municipal.

A viagem de Fernando Cunha à Grécia, inicialmente planejada como um ato de representação oficial, tornou-se um exemplo de como questões de governança e uso de recursos públicos podem gerar controvérsias e exigir respostas claras e fundamentadas.

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Ainda não tem nenhum comentário para esse post. Seja o primeiro a comentar!

Mais lidas