24 de agosto | 2015

Polícia Civil desbarata quadrilha de furto e roubo de gado com 21 pessoas de Olímpia envolvidas

Compartilhe:

A Polícia Civil desbaratou uma quadrilha especializada em furtos e roubos de gado, que agia principalmente na região noroeste do Estado de São Paulo, com 21 pessoas de Olímpia que estariam envolvidas. A operação foi deflagrada no início da manhã de segunda-feira, dia 24, quando seis pessoas da cidade foram detidas temporariamente. Mas até no final da manhã ainda faltava cumprir outro mandado contra mais uma pessoa.

Foram presos em Olímpia: Vanderlei Luciano Pistolati, vulgo Delei ou Gaúcho, de 40 anos de idade, morador da Rua Giuseppe Zuliani, no Jardim Harmonia, considerado um dos líderes da quadrilha; Adair José da Silva, vulgo Magrelo, de 39 anos, morador da Rua Washington Luís, no centro da cidade; Ricardo Alexandre Fernandes, vulgo Gordinho, de 39 anos, morador da Rua João Evangelista Novaes, no Jardim São José; Sebastião Donizete Costa, vulgo Tião, de 54 anos, morador da Rua Francisco Ângelo de Oliveira, no Jardim Leonor.

Também foram presos Diego Volpe de Martini Gemignani, de 34 anos, morador da Rua Henrique Gomes Oliveira, no Jardim Glória; e José Roberto Soares, vulgo Tio Beto, de 46 anos, morador do Jardim Menina Moça.

Além dos investigadores de Olímpia, as prisões foram realizadas com apoio de policiais civis de Bebedouro, Altair, Guaraci, Cajobi, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e Franca. De acordo com o delegado Ricardo Afonso Rodrigues as investigações que tiveram início há aproximadamente seis meses em Olímpia e Nhandeara e os acusados foram identificados através de escutas telefônicas.

De acordo com o delegado Ricardo Afonso Rodrigues, além dos mandados de prisão temporária, a justiça de Nhandeara expediu também 7 mandados de prisão coercitiva e outros 14 mandados de busca e apreensão.

Dentre os crimes praticados pela quadrilha, um deles foi na propriedade rural da família Sacchetin, no bairro rural Lambarí, região noroeste do município de Olímpia. Entretanto, Ricardo Afonso Rodrigues, ainda não tem informação do total dos roubos e furtos, em razão de muitas vítimas não terem procurado a polícia ainda.

De acordo com o delegado, na quadrilha cada um tinha uma função específica como, por exemplo, um era o responsável pela distribuição de armas, outro pela identificação de propriedades rurais onde havia gado para ser roubado ou furtado.

O delegado contou, por exemplo, que o encarregado de identificar as propriedades ligava para o cabeça da quadrilha dizendo “passei agora por uma lagoa e tem muito peixe para pescar”, em seguida falava fazendo alusão em mandar os pescadores para pegar os tais peixes.

Ainda de acordo com o delegado estão sendo investigados frigoríficos e abatedouros clandestinos. Por outro lado, já haviam sido identificados os motoristas de caminhões contratados para fazer o transporte. A ação da polícia já havia apreendido dois caminhões.

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Ainda não tem nenhum comentário para esse post. Seja o primeiro a comentar!

Mais lidas