21 de novembro | 2011

Cadeia de Barretos teve prazo de interdição estendido

Compartilhe:


Uma decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ) estendeu o prazo de interdição e por isso a cadeia pública de Barretos continuará recebendo presos da região. “O processo de interdição é louvável, pois sabemos das condições de segurança e insalubridade, mas durante certo tempo temos que colocar os presos em algum lugar”, observa o delegado seccional João Osinski Júnior.

Para o delegado não adianta fechar a cadeia de Barretos e sobrecarregar as de cidades da região. Osinski explica que o prazo de interdição definido pela justiça se expirava neste final de ano e que houve o pedido de prorrogação feito pelo secretário de segurança pública junto ao Tribunal de Justiça. “O tribunal concedeu a prorrogação do prazo visando a inauguração do CDP de Taiúva, e após esse período a desativação do prédio”, afirma.


Mas o delegado diz que isso não significa que a cadeia pública de Barretos, na Rua 30, não voltará a receber presos. “Nada impede que o local passe por uma reforma ou que seja adequado para receber presos provisórios ou mesmo uma cadeia feminina”, observa.

Mesmo assim, o delegado explica que a intenção é que o espaço seja desativado e destinado a outra finalidade. “Não adianta querer empurrar o problemas para os outros, temos que ser responsáveis pela nossa situação”, destaca. 

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Ainda não tem nenhum comentário para esse post. Seja o primeiro a comentar!

Mais lidas