06 de novembro | 2016

Beto Puttini foi o que mais gastou na eleição de prefeito

Compartilhe:

O vereador Humberto José Puttini, que disputou a eleição para o cargo de prefeito no dia 3 de outubro próximo passado, pela coligação “Olímpia não pode parar”, e acabou em terceiro lugar na disputa, foi o que apresentou maior valor de despesas à Justiça Eleitoral. Segundo consta no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ele gastou R$ 124.999,98 pelos 3.932 votos obtidos nas urnas, ou seja, aproximadamente R$ 31,79 por cada voto que recebeu.

Já o candidato vencedor, Fernando Augusto Cunha que fez dobradinha com o médico Fábio Martinez, que disputou a eleição pela coligação “Olímpia melhor pra todos”, foi o que apresentou valor menor por cada voto que recebeu nas urnas.

De acordo com o que consta como declarado por ele no site do TSE, ele gastou aproximadamente R$ 6,60 por cada voto recebido. No total, Fernando Cunha, que recebeu 16.017 votos, apresentou o total de R$ 105.729,78 como despesa de campanha, cerca de 18% menos que Beto Puttini.

Esse foi o segundo maior total declarado à justiça eleitoral, mostrando que gastou menos por voto recebido, inclusive, que o segundo colocado, Hilário Juliano Ruiz de Oliveira, que gastou R$ 6,93 por cada voto.

Como se recorda, o vereador Hilário Ruiz disputou a eleição pela coligação “Honestamente, a verdadeira mudança”, que foi o nome escolhido por 7.424 eleitores, apresentou despesas no total de R$ 51.450,05, ou seja, aproximadamente 143% menor que Humberto José Puttini.

Já o candidato do PSOL, Cecílio Miguel Neto, conhecido por Neto Naim, apresentou o total de R$ 3.971,12 de despesas eleitorais, o que representa o valor de R$ 7,194 por cada voto que recebeu nas urnas. Ele foi votado por 552 eleitores.

LEGISLAÇÃO ELEITORAL

Além das informações entregues por meio dos chamados relatórios financeiros, a legislação previa a entrega da prestação de contas parcial, que este ano ocorreu entre os dias 9 e 13 de setembro, constando o registro da movimentação financeira de campanha ocorrida desde seu início até o dia 8 de setembro.

Mas a legislação também prevê a entrega da prestação de contas final, até 1º de novembro de 2016, para as candidaturas e os partidos que apenas participaram do primeiro turno das eleições, que é o caso de Olímpia.

Candidato Puttini gastou quase R$ 44 mil com cabos eleitorais

Do valor total da despesa que apresentou à Justiça Eleitoral, o vereador Humberto José Puttini, que disputou a eleição para o cargo de prefeito de Olímpia pela coligação “Olímpia não pode parar”, pelo menos aparentemente com apoio do prefeito Eugênio José Zuliani, consumiu quase R$ 44 mil com cabos eleitorais.

Pelo menos é essa a conclusão que se pode chegar a partir do valor de R$ 43.556,00 que ele informou a título de despesas com pessoal. Outra despesa de valor significativo foi com publicidade e materiais impresso com o qual gastou R$ 19.180,00.

Além disso, gastou outros R$ 15.898,00 com publicidade e carros de som, além de R$ 12.100,00 com comícios realizados pela cidade. Mas gastou também outros R$ 8.323,00 com publicidade através de adesivos.

No ranking dos principais fornecedores – ainda não foi possível visualizar todos os dados declarados até no início da noite de ontem – o maior valor que aparece é de Fábio Rodrigo Vicenzotto – ME com o valor de R$ 13.978,00.

Em seguida foi possível encontrar: Flávia Ines G. Silvestre Artes Gráficas – ME (R$ 10.725,00), José Roberto Ruiz Júnior (R$ 9.500,00), Auto Posto Puttini (R$ 6.898,09) e Gerolin Sociedade de Advogados (R$ 5.000,00).

No entanto, esses valores não representam todas as despesas da campanha de Beto Puttini que, no total, apresentou o valor de R$ 124.999,98.

Maior gasto de Cunha aparece como contas não especificadas

O prefeito eleito pela coligação “Olímpia melhor pra todos”, Fernando Augusto Cunha ainda não detalhou o maior valor que aparece em sua prestação de contas, ou seja, mais de R$ 25 mil, apresentado em meio a suas despesas durante a campanha eleitoral para as eleições realizadas no dia 3 de outubro próximo passado. O total de R$ 25.214,40 aparece como despesas “diversas a especificar”.

Além disso, informou que gatou o valor de R$ 16.200,00 com atividades de militância e mobilização de rua. Outros R$ 14.620,00 foram gastos com publicidade por materiais impressos.

Mas também foram gastos R$ 11.500,00 com a produção de programas de rádios e ainda o valor de R$ 11.347 com publicidade através de adesivos.

No ranking de seus fornecedores o maior valor foi pago a Centrograf Artes Gráficas e Editoriais Ltda. – EPP, no total de R$ 13.100,00; em seguida parece o nome de Flávio Roberto Guimarães, com o total de R$ 11.500,00.

Também no ranking dos maiores fornecedores aparece a empresa Sinfor – Consultoria e Pesquisa Rio Preto Ltda. – EPP; Maria Cristina Pires Rossi – ME com o valor de R$ 6.860,00 e ainda a Empresa Paulista Folha da Região Ltda. – ME com o total de R$ 5.000,00 gastos em publicidade.

Maior gasto de Hilário Ruiz foi serviços prestados por terceiros

O maior valor gasto pelo vereador Hilário Juliano Ruiz de Oliveira, que concorreu ao cargo de prefeito pela coligação “Honestamente, a verdadeira mudança”, foi o total de R$ 24.000,00 pagos por serviços prestados por terceiros. No entanto, por causa de dificuldades de acessar a prestação de contas por completo, não há como identificar quais são os fornecedores que receberam esse valor.

Em seguida aparece o valor pago por publicidade através de materiais impressos, no total de R$ 17.484,00. Já o terceiro maior valor declarado foi R$ 4.845,00 com a publicidade de sua campanha através de adesivos.

A locação de bens imóveis – provavelmente com imóvel onde funcionou o comitê de campanha – custou o valor de R$ 2.287,58. Já com a produção de jingles, vinhetas e slogans, o candidato apresentou um gasto de R$ 1.800,00.

No ranking dos maiores fornecedores o maior gasto foi com a empresa Centrograf Artes Gráficas e Editorais Ltda. – EPP (R$ 10.588,00); em seguida aparece o nome de Ciclaor Brentani Gomes (R$ 8.000,00).

Além disso, aparecem também: Donizeti A. Guimarães Contabilidade – ME (R$ 6.000,00), Aparecido Perpétuo Borges (R$ 4.000,00) e Maria Cristina Pires Rossi – ME (R$ 3.265,00).

Neto Naim gastou apenas R$ 635,12 com combustível

Apresentando um total de despesas infinitamente menor que os demais candidatos, Cecílio Miguel Neto, que disputou a eleição para o cargo de prefeito de Olímpia pelo PSOL, informou à Justiça Eleitoral que gastou apenas o valor de R$ 635,12 com combustível. No entanto, informou que foram R$ 1.600,00 com despesas com pessoal.

Esse valor de despesas com pessoal representa 40,29% do total que apresentou como tendo gasto durante sua campanha eleitoral que foi de R$ 3.971,12. Além disso, gastou também R$ 1.286,00 com publicidade através de material impresso.

Outro gasto que aparece na prestação de contas que apresentou à Justiça Eleitoral foi no total de R$ 1.150,00, mas ainda a especificar. Também gastou R$ 800,00 com publicidade por adesivos.

No ranking de seus fornecedores o maior valor aparece como pago a empresa Flávia Ines Silvestre Artes Gráficas – ME (R$ 1.286,00). Em seguida aparecem os nomes de Renato Alexandre Recco (R$ 1.000,00), Stampsilk Ltda. – ME (R$ 800,00), Hélio Alberto Zaccarelli – Posto Califórnia (R$ 635,12) e José Mario Russo – ME (R$ 150,00).

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Ainda não tem nenhum comentário para esse post. Seja o primeiro a comentar!

Mais lidas