09 de junho | 2013

Klara Castanho nasceu para brilhar

Compartilhe:

Na novela “Amor à Vida”, Klara Castanho interpreta a Paulinha. Nos próximos capítulos, a vida da menina e sua família sofrerá uma reviravolta, uma vez que ela precisará de um transplante de fígado / Raphael Dias-RG

 

 

 

 

Klara Castanho fez seu primeiro trabalho como atriz na série “Mothern”, produzida pelo canal pago GNT, em 2006. Desde então, não saiu mais da televisão / Raphael Dias-RG

 

 

 

 

 

 

Ela nasceu mesmo para brilhar. Aos doze anos de idade, ganhou o papel de importância na novela “Amor à Vida” e tem mostrado que a escolha não poderia ter sido melhor. Estamos falando da atriz quase adolescente Klara Castanho, a Paulinha da trama escrita por  Walcyr Carrasco.

Klara Castanho nasceu na cidade de Santo André, em São Paulo, no ano de 2000 e quando ela abre o sorriso, não há quem não se encante. A carreira artística começou aos seis anos de idade quanto atuou na série “Mothern”, uma produção do canal pago GNT. Nesta estreia, Klara Castanho interpretou a menina Bel, filha da personagem da atriz Fernanda D’Umbra. A atriz mirim deu seu primeiro passo no caminho da fama, do qual não teria mais volta.

Naquela ocasião, pelos idos de 2008, ela chamou a atenção do SBT que estava produzindo a novela “Revelação”, escrita por Íris Abravanel. Aquele foi o primeiro folhetim de Klara Castanho que apareceu na pele da menina Daniela Mourão, contracenando principalmente com Marcela Muniz.

Não demorou muito para a Globo se interessar pelo passe dela e aí veio a proposta para atuar em “Viver a Vida”, folhetim exibido em horário nobre e contracenando com grande nomes, tal como Giovanna Antonelli, que fez a Dora, mãe de Rafaela, a personagem de Klara Castanho.

Quando a atriz menina começou este trabalho, a especulação era que sua personagem seria um tanto quanto perversa, no entanto esta possibilidade gerou alguma polêmica, pois Klara era (e ainda é) menor de idade e ainda muito menina para encarar uma personagem tão densa. Daí o autor Manoel Carlos mudou um pouco o perfil de Rafaela, mas ela continuou sendo uma garota muito esperta e cheia de personalidade. Conquistou o telespectador.

O sucesso em “Viver a Vida” foi grande, mas ela saiu de cena até o início de 2011 quando foi chamada para fazer a “fazendeira” Tonica, em “Morde & Assopra”. A divertida Tonica era filha de Abner (Marcos Pasquim) e na história também escrita por Walcyr Carrasco a menina defendia o pai com unhas e dentes.

Depois, entre março e setembro do ano passado, Klara Castanho fez a novela de Elizabeth Jhin, “Amor Eterno Amor” interpretando Clara, contracenando principalmente com Felipe Camargo, Suely Franco, Ana Lúcia Torre e Leticia Persilles. Desta vez a personagem tinha uma pureza sem igual e mediunidade, segundo o enredo escrito por Elizabeth Jhin. Como era esperado, Klara Castanho mostrou muita competência e fez bonito frente às câmeras. Novamente foi sucesso de crítica.

De volta ao horário nobre e mais uma vez numa trama de Walcyr Carrasco, a atriz mirim está em “Amor à Vida” vivendo Paulinha, uma personagem mais do que especial e fundamental na condução do eixo central da história.

Desde que estreou no mês passado, “Amor à Vida” tem surpreendido os telespectadores com os detalhes de seu enredo e a entrada de novos personagens. No entanto, o momento mais esperado é, sem dúvida, que Paloma (Paolla Oliveira) descubra que Paula, com quem tem tanta afinidade, é a sua filha biológica. E para quem não viu o começo do folhetim, Félix (Mateus Solano) jogou o bebê da irmã numa caçamba de lixo e a menina foi encontrada por Bruno (Malvino Salvador), que a criou como se fosse sua filha. Só quem sabe deste segredo é a Dra. Glauce (Leona Cavalli), Ordália (Eliane Giardini) e o próprio Bruno, é óbvio. É bom explicar também que o trio nem sonha que Paula é a filha de Paloma.

Fazendo o maior sucesso nesta novela também, Klara Castanho se prepara para grandes acontecimentos na vida de Paulinha, alguns deles bem sérios que colocarão a personagem em risco de morte.

Nos próximos capítulos, Paula desmaia e é levada para o Hospital San Magno, onde é tratada gratuitamente pela Dra. Paloma (Paolla Oliveira). A médica logo desconfia que alguma coisa grave está acontecendo e recomenda exames mais específicos. Com a preciosa ajuda do Dr. Lutero (Ary Fontoura), Paloma diagnostica uma grave lesão no fígado da menina, curável apenas com o transplante que precisa ser feito com urgência. O desespero vai tomar conta de Bruno e prontamente ele se dispõe a doar parte de seu fígado para o que chama clinicamente de “enxerto” e possibilitar que o órgão da menina se reconstitua. Ele faz alguns exames e Paloma descobre que Bruno não é o pai biológico da menina. A médica compartilha a “descoberta” com Bruno, no entanto não o questiona e se dispõe ela mesma a fazer a doação e salvar a vida de Paulinha.

Será a partir dos exames necessários para ser a doadora que Paloma descobrirá a compatibilidade biológica, possíveis apenas no caso de ser ela a mãe da menina.

Como se percebe uma “bomba” vai estourar na vida de Bruno e de sua família. Para complicar ainda mais, a Dra. Glauce, ressentida porque Bruno apaixonou-se por Paloma e não por ela, vai insinuar que ele mentiu quanto a ter encontrado a menina no lixo e que Bruno poderia ter roubado o bebê de Paloma do berçário do hospital e inventado toda a história.

Bom, isso é parte da história da novela. Mas, o fato é que Klara Castanho aparecerá bastante em “Amor à Vida” e deverá ficar em evidencia até o final da trama. E fazendo sucesso.

Compartilhe:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do iFolha; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Você deve se logar no site para enviar um comentário. Clique aqui e faça o login!

Ainda não tem nenhum comentário para esse post. Seja o primeiro a comentar!

Mais lidas